sábado, 25 de agosto de 2012

Neil Armstrong

Hoje, dia 25 de Agosto, faleceu o comandante da Apollo 11, Neil Armstrong. Tinha 82 anos e foi o primeiro homem a pisar o solo da Lua em 20 de Julho de 1969 . Faleceu, mas suas palavras "That’s one small step for man, one giant leap for mankind” e a sua pegada na superfície do nosso satélite natural, continuarão bem vivas na nossa memória.
Ele foi o heroi de uma viagem espacial que ainda hoje há que duvide que foi realmente realizada.
Lembro-me que uma vez, creio que ainda no ano de 1969, visitei um meu tio que vivia na aldeia e lá passei uns dias. Um dia quando estavamos à lareira, ele pensando que por eu viver em Lisboa saberia dar resposta às dúvidas que tinha sobre a ida do homem à Lua pôs-me a questão de ser verdade ou não e se era possível ao homem chegar tão longe. De tosco modo expliquei-lhe que foi verdade e que, tal como é possível ir de bicicleta da aldeia à cidade, também é de carro a Lisboa ou de comboio a Paris ou de avião a Londres ou de foguetão à Lua. Ele compreendeu, mas algo ainda o confundia, pois pensava que quando o homem pusesse os pés na lua lá no alto, cairia logo pelo céu abaixo. Expliquei-lhe então o que é a gravidade na Terra e como do mesmo modo é em qualquer outro astro. Para me fazer entender melhor desenhei um círculo a representar a Terra com um boneco no Polo Norte e outro no Polo Sul e expliquei-lhe que para baixo era o centro da terra, para cima o firmamento e que o mesmo acontecia na Lua. Depois daquela explicação lancei o papel à fogueira.
No dia seguinte, quando ele chegou a casa vindo da taberna, onde estivera na cavaqueira com os amigos, a minha tia encontrou-lhe num bolso do colete um papel com um círculo desenhado e dois bonecos nos polos opostos.
Eu nunca duvidei em momento algum embora tenha lido imensas supostas provas que atestam o contrário , que Neil Amstrong chegou realmente à Lua, e mais, tenho como certo que um dia o homem irá lá voltar e que irá mais longe. Chegará a Marte brevemente.


Sem comentários:

Enviar um comentário